Exame da OAB

FACAMP aprova 92,1% na OAB

O Coordenador Professor Alaôr Caffé explica as razões do excelente resultado no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)

Como o senhor recebeu os resultados da OAB?
AC – Com a sensação de dever cumprido. Nós da FACAMP tínhamos um firme propósito: fazer um curso de Direito de excelência. Nos exames da OAB do primeiro semestre de 2008, alcançamos 91,5% de aprovação. No primeiro semestre de 2009 chegamos a 92,1%. Os extraordinários índices de aprovação são uma grande prova da qualidade do nosso curso.

Já é possível avaliar a empregabilidade das duas primeiras turmas de formados?
AC – Sim. Formamos a primeira turma de Direito em dezembro de 2006. O resultado é excelente:
em 2008, 91,5% dos formados trabalham na profissão que escolheram: em escritórios ou em departamentos jurídicos de empresas, onde ocupam postos importantes.

A que o senhor atribui o rápido sucesso do curso da FACAMP?
AC – Ao nosso corpo de professores, que é excelente. Fomos a primeira escola do Brasil a introduzir o período integral, que assegura uma formação completa.

Como o senhor avalia a importância do ensino de línguas para o profissional de Direito?
AC – É enorme. O profissional de Direito deve saber se comunicar com segurança e precisão; para tanto, o pleno domínio da Língua Portuguesa e da linguagem jurídica é requisito indispensável. E o inglês, hoje em dia, é essencial para qualquer profissional de alto nível.

E o treinamento profissional?
AC – Teoria e prática profissional estão articuladas desde o início do curso. Criamos as Oficinas Jurídicas e estruturamos de forma inovadora as disciplinas de Prática Jurídica. O Escritório Modelo da FACAMP oferece treinamento profissional de primeira qualidade.

O curso de Direito da FACAMP é um dos poucos no Brasil a oferecer aos seus alunos áreas de especialização.
AC – No tempo certo, no fim do curso, oferecemos à escolha do aluno três áreas de especialização: Direito empresarial, Direito público e Novos direitos (Direito ambiental, Direito do consumidor e Controle do poder econômico).